Era uma vez...

Era uma vez um saco que não tinha pernas...verdade! E por isso alguém tem de o levar para o sítio certo.

São histórias que temos para contar,  com vontade de educar as gerações futuras para a sustentabilidade do nosso planeta.

 

 

O SACO QUE NÃO TINHA PERNAS

Era uma vez um saco do lixo que, noite após noite, era deixado no chão da rua. Fizesse sol ou fizesse chuva nunca os seus donos o levavam até ao contentor do lixo, onde poderia ficar bem quentinho junto dos seus amigos sacos.

Desejava todas as noites poder ganhar pernas e ir, pé ante pé, até ao contentor mais próximo, onde o camião da Veolia recolhia todos os seus amigos sacos, para uma viagem rumo ao tratamento do lixo. “Só a mim ninguém me leva!”, dizia muito triste. Mas se ninguém sabia  que ele estava ali, como podiam levá-lo?

Nem as visitas do gatinho lambareiro, que cheirando procurava nele algo para petiscar, o animar. “Não tenho nada para ti, não me abras por favor, que não quero andar por aí espalhado.”

E depois vinham os dias de chuva e ficava todo molhado, cada vez mais pesado e cheio de frio. Ou os dias de muito calor que, mesmo sem querer, o faziam cheirar muito mal.

Até que um dia viu um saco muito parecido consigo passar nas mãos dos seus donos em direção ao contentor mais próximo. “Olha, saco, diz-me como consegues? Como fizeste para que te levassem para o sítio certo?”, perguntou o saco que, noite após noite, era deixado no chão da rua.

“Não sabes? As crianças conseguem ouvir-nos! Eu contei ao menino que mora lá em casa que o meu sonho era ser depositado junto aos outros sacos, dentro do contentor, bem atado. E resultou! Experimenta fazer isso, as crianças ouvem-nos!”

E tu, já prestaste atenção ao saco do lixo lá de casa? 

Os sacos do lixo devem ser colocados, bem atados, sempre dentro do contentor, que é onde o camião da Veolia pára para os recolher. Se forem deixados no chão da rua vai demorar muito mais tempo até que alguém descubra onde está e obriga a mudar as voltas dos camiões.

Contamos contigo!

Nesta altura, importa ter em atenção mais alguns cuidados na forma como deitamos o nosso lixo fora.

Porquê? Para evitar que resíduos que possam estar contaminados sejam fonte de propagação.

O que devemos fazer?

  • todas as máscaras, luvas e lenços usados devem ser colocados no lixo comum;
  • se na vossa casa existe alguém em tratamento por COVID-19:
  1. todos os resíduos devem ser colocados em sacos de lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até 2/3 (dois terços) da sua capacidade
  2. os sacos, devidamente fechados, devem ser colocados dentro de um 2º saco, devidamente fechado, e ser depositado no contentor de resíduos indiferenciados (lixo comum)
  • E nesta altura, mais ainda, sacos deixados no chão prejudicam a saúde de todos e dificultam o trabalho de recolha feito pelos homens e mulheres que, apesar da situação que vivemos, continuam a assegurar este serviço nas nossas ruas.

E se estás a ler esta história, em casa, com a tua família, durante a situação de pandemia por COVID-19, presta atenção: